Urbes aciona polícia e apreende carro dublê

Polícia 19 abr / 2019 às 17:51

Um dublê de outro automóvel foi descoberto e apreendido na quarta-feira (17), após a Urbes -Trânsito e Transportes levar a Polícia Militar (PM) até o endereço de um imóvel no bairro Cidade Jardim, na Zona Oeste. Lá estava o Hyundai/Azera, ano 2012/2013, de cor prata, com placas, chassi e documentação adulterados para se passar por outro, registrado em Americana. O responsável pelo carro clonado responde à investigação em liberdade. Ele declarou à Polícia Civil que comprou o veículo por valor de mercado e foi vítima da ilegalidade.  

A Urbes tomou a iniciativa imediatamente após receber ligação da proprietária do carro autêntico, que mora em Americana, cidade na região de Campinas. Ela questionou a notificação emitida pela Urbes informando sobre a multa e o recolhimento do veículo por estacionamento em local proibido. Alegou que em momento algum o automóvel dela foi recolhido e nem mesmo circulou em Sorocaba.  

Como a infração, o recolhimento e a multa realmente ocorreram no final de março, a equipe da Urbes levou os policiais até o endereço informado pelo responsável que retirou o veículo. Na semana passada, ele compareceu pessoalmente na sede da Urbes, com uma procuração da proprietária do carro autenticada falsamente e cumpriu todas as providências e pagamentos legais para a liberação. 

Tanto o Recibo de Compra e Venda como o Certificado de Registro do Veículo (CRV) tinham informações impressas em papéis de segurança oficiais (espelhos) e correspondentes às placas e à numeração do chassis adulteradas no clone. Segundo a Polícia Civil, os espelhos dos documentos foram roubados do Detran em Itanhaém e o selo de autenticação da procuração referia-se a documento diverso.  

A PM descobriu a real identidade do clone ao levantar informações pela numeração do motor, que deixou de ser adulterada. Trata-se de um Hyundai/Azera, ano 2012/2013, de cor prata, registrado na cidade de São Paulo e com queixa de estelionato há mais de dois anos, desde dezembro de 2016. 

O responsável pelo carro dublê em Sorocaba apresentou-se por iniciativa própria à Polícia Civil e acompanhado por advogado. Declarou ter pago R$ 40 mil no veículo, investiu outros R$ 5 mil em mecânica e acessórios, além de quitar multas anteriores à aquisição do automóvel. A compra foi feita via anúncio em redes sociais e estava para fazer a transferência para o próprio nome.

Sobre a procuração falsa, afirmou que a mesma lhe foi entregue pela pessoa que vendeu o carro, quando buscava o contato da proprietária anterior, para conseguir retirar o veículo que havia sido recolhido pela Urbes, porque estava estacionado em local proibido.  


Mais Notícias