Dia “D” contra a gripe mobilizará mais de 220 profissionais da saúde em Sorocaba

Saúde 15 abr / 2016 às 19:41

No chamado Dia ‘D’ contra a gripe em Sorocaba, ao menos 220 profissionais da saúde serão mobilizados na cidade para este evento, que ocorrerá no dia 30 de abril e marcará o início da Campanha Nacional de Vacinação contra o Influenza. O efetivo vai atuar das 8h às 17h nas 31 Unidades Básicas de Saúde (UBSs), que estarão abertas excepcionalmente no último sábado do mês para imunização do público-alvo da iniciativa. A Secretaria da Saúde (SES) realizou o treinamento dessas equipes nesta sexta-feira (15), no Salão Verde da Unidade Seminário.

Pela manhã, cerca de 100 pessoas, entre coordenadores de unidades, enfermeiros e técnicos de enfermagem, participaram da capacitação. Para uma segunda turma, composta também por representantes de todas as UBSs do município, a capacitação foi no período da tarde. Na ocasião, foram repassadas instruções de operacionalização quanto ao Dia “D” e para os demais dias da campanha, como transporte, armazenamento e registro de doses, composição de equipes, preenchimento de guias e demais processos administrativos.

Num segundo momento do treinamento, os profissionais da saúde receberam informações sobre o protocolo clínico de atendimento de casos de gripe (Influenza), inclusive do tipo A H1N1, explicações quanto à classificação de risco, manejo clínico e tratamento de pacientes com Síndrome Gripal ou Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAGs), além de atualização de casos dessas doenças no Brasil, no Estado e no município.

“Parte desse conteúdo foi o mesmo apresentado na semana passada ao pessoal dos hospitais públicos e privados que atende casos de urgência e emergência, bem como aos médicos, na quinta-feira (14). São detalhes que podem ajudar na hora de explicar melhor o assunto ao público”, enfatiza a chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica (DVE) da SES, Renata Guida Caldeira.

 

Público-alvo e acamados

A SES enfatiza que é preciso deixar claro que o objetivo da campanha é imunizar o público que compõe os chamados grupos de risco – aquelas pessoas com maior risco de internação e até óbito, decorrentes de complicações em caso de contágio pela gripe. “Grupos de risco de exposição, como professores, policiais, bombeiros não serão contemplados nesse primeiro momento. Se houver sobra de doses após a imunização de ao menos 80% dos grupos de risco, a vacinação pode depois ser liberada para outros segmentos da sociedade, como ocorreu em outros anos”, explica Renata.

A campanha este ano vai contemplar profissionais de saúde de hospitais públicos e privados, crianças maiores de seis meses a menores de cinco anos de idade, gestantes, Puérperas (até 45 dias após o parto) e idosos com 60 anos ou mais, portadores de doenças crônicas não transmissíveis, detentos e funcionários do sistema prisional, além de jovens (de 12 a 21 anos de idade) sob medidas socioeducativas.

“Vale lembrar que crianças de 6 meses a 8 anos que vão tomar a vacina pela primeira vez, receberão dose dupla. Uma na campanha e outra 30 dias depois na UBS mais próxima de casa”, ressalta a supervisora de área da DVE, Daniela Malaquias. A SES ainda faz o cadastramento de público-alvo a ser vacinado em hospitais, clínicas, asilos e presídios, mediante agendamento.

No Dia “D” ainda haverá uma equipe volante da SES para fazer o atendimento em domicílio de pacientes acamados, assistidos pelo Serviço de Atendimento Domiciliar (SAD) da Prefeitura. “Estamos identificando essa demanda. O cadastro deve ser feito nas UBSs até o dia 26 de abril, para então definirmos a estratégia da equipe que irá às ruas. Quem não for atendido no dia 30, tende a ser depois, durante a campanha”, ressalta Daniela.

 

Doses

A SES ainda aguarda o recebimento das doses, por parte do Ministério da Saúde, que serão usadas na campanha de vacinação. A previsão é receber cerca de 150 mil unidades que vão proteger a população contra os vírus A/California (H1N1), A/Hong Kong (H3N2) e B/Brisbane. A exemplo dos últimos anos, a previsão é que elas sejam liberadas aos municípios às vésperas do Dia “D”. “Mas se recebermos antes, como não podemos mantê-las armazenadas ate o início da campanha, iniciaríamos o atendimento aos hospitais, asilos e presídios”, revela a supervisora da DVE.

A orientação ao munícipe é que leve a carteira de vacinação do ato da imunização, para fixação do comprovante. Durante a campanha, ainda haverá atualização da caderneta de vacinação das crianças, com oferta de outros tipos de vacinas que integram o calendário nacional de imunizações. “O importante é que as pessoas estejam vacinadas, assim evita-se a proliferação do vírus e o agravamento de casos, bem como menor gasto público com atendimentos desse público nas unidades. O objetivo é a prevenção”, finaliza a chefe da DVE/SES.


Mais Notícias