Seminário da Pessoa Idosa debate direitos, bem-estar e combate à violência

Sorocaba 14 jun / 2019 às 14:41

Para marcar as passagens do Dia Internacional e do Dia Municipal de Conscientização e Combate à Violência contra a Pessoa Idosa no próximo sábado (15), a Secretaria da Cidadania e Participação Popular (Secid) e o Conselho Municipal do Idoso (CMI) promoveram o seminário “Onde está a violência?”, na manhã desta quinta-feira (13), no Salão de Vidro do Palácio dos Tropeiros. A programação prestou orientações sobre a rede de proteção ao idoso na prevenção e enfrentamento a situações de violência e temas relacionados à saúde, convivência, mobilidade urbana, condições de moradia e bem-estar físico e emocional.

Na abertura do encontro, a secretária da Secid, Suélei Gonçalves, destacou a importância de uma maior conscientização a respeito da violência contra o idoso em meio ao crescimento populacional entre os brasileiros de maior faixa etária, como demonstram dados oficiais do IBGE. “Infelizmente, são crescentes as denúncias violência contra o idoso. Agradecemos aos presentes: o apoio de vocês é fundamental para auxiliar o Poder Público a prevenir e combater estes casos”, ressaltou.

Segundo o IBGE, o Brasil registrou em 2018 uma média de 102 casos de violência contra a pessoa idosa por dia, sendo 38% deste total referentes a situações de negligência e 26% de violência psicológica.

A presidente do CMI, Maria Eugênia de Moraes, enfatizou a atuação conjunta entre o Conselho e a Secid na prestação de orientações sobre dúvidas e o encaminhamento de eventuais denúncias para atendimento especializado. De acordo com o coordenador de Políticas para a Pessoa Idosa da Secid, Marcos Castro, além das denúncias telefônicas anônimas pelo Disque 100, a Delegacia de Defesa Mulher, no Jardim América, também atende a denúncia de violência contra a pessoa idosa. Os dois serviços funcionam 24 horas.

 

Envelhecer de forma saudável

Antes do início dos debates, o coral Sintonia do CCI, formado por frequentadoras do Centro de Convivência do Idoso e regência da professora Maria Regina Pinto Rabello, animou o público com sucessos de Tim Maia, Chico Buarque, dentre outras canções. Na sequência, a presidente da comissão dos Direitos da Pessoa Idosa da seção de Sorocaba da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Gláucia Ferreira Rocha falou a respeito da “Violência contra o idoso: desafios para a mudança deste quadro”.

A cirurgiã dentista Renata Marins, integrante do Conselho do Idoso, tratou sobre o tema “Os limites do envelhecer”. Ela abordou os principais aspectos físicos e emocionais do envelhecimento e da importância da convivência social e das atividades físicas e intelectuais para a manutenção da qualidade de vida. “Envelhecer é inevitável! Precisamos entender como este processo funciona e os nossos limites, para envelhecermos melhor e de forma mais saudável”, explicou.

Na palestra “Mobilidade: o movimento na cidade”, os arquitetos Caio Guedes e Guilherme Bissoli defenderam a conscientização não só das pessoas acima de 60 anos, mas da sociedade como um todo a fim de tornar as cidades mais seguras, acessíveis e confortáveis para os idosos. Eles citaram exemplos de espaços públicos de Sorocaba, como o prédio do Clube do Idoso e o rebaixamento de guias, a ampliação de calçadas e piso tátil na região central, além de adaptações que podem ser feitas nas casas a baixo custo, como a implantação de rampas, barras de apoio nas paredes e a regulação da altura de portas e maçanetas.

Para encerrar a programação, a professora Renata Marques, tratou do tema “Relacionamentos abusivos”, com descrição de situações para que os idosos possam identificar possíveis casos e maus-tratos físicos, psicológicos, sociais e financeiros. “Precisamos conhecer o problema para que não possamos sofrer com ele e prestar atenção se pessoas próximas também não estão sofrendo. Proteger um ao outro é exercer a cidadania”, defendeu.

 

Proteção ao idoso

A Coordenadoria de Políticas para a Pessoa Idosa da Secid tem a função de articular ações voltadas a este segmento da população junto à Prefeitura, CMI, demais órgãos do Poder Público, sociedade civil e iniciativa privada. A Sias mantém o Centro de Referência do Idoso, na Vila Progresso, e o Clube do Idoso, no bairro de Pinheiros, que oferecem atividades voltadas à saúde, lazer, cultura e integração social.

No mesmo prédio da Chácara do Idoso (Rua Manoel Afonso, 64, Vila Progresso), funciona o Centro de Referência do Idoso, que fornece informações, encaminhamentos, esclarecimentos com relação aos direitos e deveres dos idosos e também dos serviços existentes a este segmento.

Casos de violência à pessoa idosa também podem ser denunciados por telefone de forma anônima, pelo Disque 100, ou presencialmente, na Delegacia de Defesa Mulher (Rua Caracas, 846, Jardim América).


Mais Notícias