Rodízio continua mas com todas as regiões sendo abastecidas durante do dia

Sorocaba 15 out / 2020 às 18:48

Após reunião realizada no final da tarde desta quinta-feira (15), que avaliou tecnicamente o quarto ciclo do rodízio no abastecimento, implantado em 17 de setembro nas regiões do Éden/Zona Industrial, Cajuru e Aparecidinha, os diretores, engenheiros e técnicos do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Sorocaba decidiram pela sua manutenção por mais uma semana.

O sistema, porém, terá uma alteração, com a região do Cajuru passando a ser abastecida das 6h às 18h, a exemplo das demais. Já no período das 18h às 6h, Éden/Zona Industrial, Aparecidinha e Cajuru permanecerão com a distribuição de água interrompida.

A definição pela continuidade do rodízio e a alteração no sistema ocorreu após a avaliação de uma série de informações e gráficos durante a reunião, que demonstraram o comportamento de consumo da população, as previsões de temperaturas e chuvas para os próximos dias e os níveis das represas que a autarquia utiliza para captar água bruta, tratar e distribuir a partir da Estação de Tratamento de Água do Éden.

De acordo com os dados atualizados, o sistema de represas Castelinho/Ferraz apresentou uma melhora nos últimos dias, passando de 16% para 20%, o que vai permitir atender também a região do Cajuru das 6h às 18h, fato que a autarquia considera como um avanço no rodízio.

Com essa alteração, o volume de água que a ETA do Éden produzia durante 24 horas, para atender todas as regiões envolvidas no rodízio, será concentrado durante o dia, para que durante a noite/madrugada ocorra a recuperação para a manhã seguinte.

Quanto às demais represas em que a autarquia realiza a captação de água bruta para tratamento e distribuição, integrantes do sistema da Estação de Tratamento de Água do Cerrado, os níveis apontam 60% da capacidade total em Ipaneminha e 55% em Itupararanga.

Economia e previsões de chuvas

Neste quarto ciclo do rodízio que foi completado, o fato do Saae/Sorocaba ter continuado utilizando de 50% a 70% a menos do volume de água que normalmente captava no sistema Castelinho/Ferraz contribuiu para a melhora dos seus níveis, junto com as chuvas e a colaboração da população, que nesta semana recém-completada economizou 16%. No primeiro ciclo essa economia foi de 25% e nas duas seguintes de 15%.

Compondo a análise realizada durante a reunião de avaliação que definiu pela continuidade do rodízio e a alteração realizada, foram analisados também os dados dos institutos de meteorologia consultados pela autarquia, que preveem chuvas com volumes significativos ainda em outubro, que podem alterar o atual quadro de forma positiva, se ocorrerem em dias contínuos e não apenas em um determinado momento.


Mais Notícias