“A Marca Na Rosa” conversa sobre relacionamentos abusivos com estudantes

Sorocaba 17 nov / 2019 às 15:52

Os relacionamentos abusivos foram tema das rodas de conversa que o projeto “A Marca na Rosa” promoveu junto a jovens estudantes de escolas públicas de Sorocaba, em 2019. Segundo levantamento da Secretaria da Cidadania e Participação Popular (Secid), as ações interativas de conscientização se desenvolveram em 57 unidades de ensino das Redes Estadual e Municipal, localizadas em regiões com maior incidência de casos de violência contra a mulher. A ação envolveu 3.491 adolescentes e jovens, com idades entre 14 e 20 anos, de 141 turmas diferentes.

“A Marca na Rosa” nasceu a partir dos relatos da estudante universitária Estefany Saez, de 20 anos, que passou por um relacionamento abusivo onde foi vítima de violência psicológica, física e sexual. O bate-papo com os alunos começa pela exibição de um vídeo, no qual a jovem relata a própria experiência e propõe aos meninos e meninas uma reflexão sobre atitudes violentas enraizadas na sociedade, para que se conscientizem sobre mudanças de comportamento e atitudes.

Na sequência, a coordenadora de Desenvolvimento Social da Mulher da Secid, Ana Miragaia, media um debate no qual os estudantes podem esclarecer dúvidas e relatar experiências, além de receber informações sobre os indícios de um relacionamento abusivo, ciclo da violência doméstica e como proceder em casos de ocorrências. A atividade termina com a leitura do poema “A Marca na Rosa”, criado por Estefany. “Muitos jovens reproduzem comportamentos abusivos de forma natural, e até mesmo ‘romantizada’, sem se darem conta disto. A partir da conscientização, queremos que meninos e meninas pensem nas formas de relação e possam agir diferente”, ressalta Ana.

Conforme o levantamento da Coordenadoria da Mulher da Secid, “A Marca na Rosa” promoveu rodas de conversa envolvendo 129 turmas do Ensino Médio e 12 do Ensino Fundamental, nos períodos da manhã e da tarde. Do total de 3.491 estudantes que passaram pela conscientização, 3.197 cursam o Ensino Médio (2.875 do 3.º ano, 123 do 2.º e 289 do 1.º) e 294 do 9.º ano do Ensino Fundamental.

Conscientização permanente

Ana Miragaia explica que a definição das escolas visitadas neste primeiro ano do projeto, se deu com base no mapeamento dos casos de violência contra a mulher atendidos pelos Centros de Referência em Assistência Social (Cras). De acordo com a coordenadora, as rodas de conversa provocam alguns impactos imediatos nos estudantes, percebidos por meio de trocas de olhares, formas de agir e de adolescentes que se sentem seguros para relatar experiências vividas por eles próprios, ou pessoas próximas.

Houve, inclusive, encaminhamentos de situações mais graves para atendimentos especializados. Já em algumas turmas, alunos se propuseram a multiplicar o projeto por meio de grêmios estudantis. Outros, mantêm contato com a Coordenadoria da Mulher, ou pelas redes sociais da Secid. “Sabemos que o combate à violência contra a mulher é um processo permanente, mas é importante ver que esta semente já começa a render frutos, pois os alunos nos trazem um olhar sobre o tema diferente da forma com que nós enxergamos”, destaca a secretária Suélei Gonçalves.

“A Marca na Rosa” desenvolveu outras ações desde novembro de 2018, como a capacitação de professores da rede pública, debates em Cras e uma exposição fotográfica itinerante que já passou pelo Palácio dos Tropeiros, Biblioteca Municipal, Fundec, escolas e shoppings.

A Coordenadoria da Mulher da Secid faz parte da rede pública de proteção à mulher de Sorocaba, considerada uma das mais completas do Brasil. Composta, também, pelo Botão do Pânico; o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (CMDM); o Centro de Referência da Mulher (Cerem); o Juizado Especial Criminal e de Violência Doméstica Familiar; a Patrulha da Paz (parceria do Juizado da Mulher com a Polícia Militar); a Casa Abrigo e o Centro Especializado de Reabilitação do Autor em Violência Doméstica (Cerav), mantidos pelo Centro de Integração da Mulher (CIM Mulher); os Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas); as Unidades Básicas de Saúde (UBSs); a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), o Disque-Denúncia 180 e a Guarda Civil Municipal (GCM), serviços com funcionamento 24 horas.

O setor atende no Palácio da Cidadania, localizado à Avenida Afonso Vergueiro, 1.238, Centro. O telefone é o (15) 3229-3440 e o e-mail é o coordenadorias@sorocaba.sp.gov.br


Mais Notícias