Equipes de roçagem do Saae recebem treinamento para preservação da biodiversidade

Sorocaba 12 out / 2019 às 15:08

Cerca de 30 profissionais, entre funcionários diretos e colaboradores de empresas terceirizadas que prestam serviços ao Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Sorocaba, participaram do treinamento de roçagem realizado pela Prefeitura de Sorocaba, por meio da Secretaria do Meio Ambiente, Parques e Jardins (Sema). A proposta do treinamento foi o de orientar os trabalhadores de modo a garantir que, no momento da execução do serviço, haja a proteção e a conservação da biodiversidade existente em Áreas de Proteção Permanente (APPs). O treinamento foi ministrado pela bióloga Renata Cassemiro Biagioni, funcionária da Sema, na manhã desta sexta-feira (11), e teve a participação de funcionários operacionais que realizam a roçagem, encarregados, chefias e diretores.

A medida atende a lei municipal nº 12.059, de 29 de agosto de 2019, que institui o programa Refúgios da Biodiversidade de Sorocaba. Os “refúgios” são as áreas onde potencialmente habitam, se alimentam e se reproduzem plantas, animais e outros organismos. Normalmente estão localizados à beira de rios, zonas ribeirinhas, córregos, lagos, lagoas, várzeas, alagados e brejos.

O Saae tem o compromisso com a população de estudar, projetar e executar obras relativas à construção, ampliação e reparos nos sistemas de abastecimento de água potável e coleta de esgoto sanitário e drenagem pluvial, garantindo assim saneamento de qualidade. A autarquia, entretanto, assumo não apenas um compromisso, mas também uma responsabilidade socio-ambiental, envolvendo a comunidade, preservando e ensinando a preservar o meio ambiente.

“Temos o dever de conscientizar e capacitar também os profissionais da autarquia responsáveis por trabalhar em contato com o meio ambiente, assim como está na lei municipal. Buscamos sempre orientar e capacitar os servidores para que exerçam suas funções garantindo a segurança e bem-estar e preservação do meio ambiente”, contou o diretor geral do Saae, Mauri Pongitor.

A bióloga Renata Cassemiro destaca a importância de orientar e conscientizar os funcionários responsáveis pela roçagem em relação à lei que é recente. “Mas, muito mais do que orientar, queremos sensibilizar os profissionais que estão à frente deste projeto, ou seja, diretamente relacionados com a sua execução, uma vez que são eles os responsáveis pela roçagem e muito importantes, portanto, na manutenção da biodiversidade”, conta.

O treinamento orientou os participantes sobre o que são os refúgios da biodiversidade e a importância da sua conservação, o que diz a legislação municipal e a maneira correta de executar o serviço respeitando os locais onde alguns animais vivem e se reproduzem. O capim existente às margens dos rios, córregos e lagos, quando evitado o corte raso e mantido mais alto, possibilita o estabelecimento de ninhais de aves ribeirinhas e abrigo para os peixes, pequenos mamíferos, anfíbios e répteis.


Mais Notícias