Infestação do Aedes Aegypti põe Sorocaba em estado de alerta

Saúde 04 fev / 2014 às 19:29

A Secretaria da Saúde de Sorocaba (SES), por meio da Área da Vigilância em Saúde, divulgou nesta terça-feira (4) o resultado da Avaliação de Densidade Larvária (ADL) realizada pela Divisão de Zoonoses em janeiro ( Índice Predial – janeiro ). O levantamento aponta que o índice geral de infestação do mosquito transmissor da dengue, o Aedes aegypti, na cidade ficou em 1 (um), classificação considerada como alerta pelo Ministério da Saúde.

A ADL tem como objetivo quantificar o número de criadouros do mosquito transmissor da dengue, com a presença de larvas em imóveis da cidade. O estudo é preconizado pelo Ministério da Saúde para os municípios brasileiros considerados prioritários nas ações de combate à dengue. Além disso, a ADL também integra o trabalho de monitoramento realizado pela Prefeitura de Sorocaba, para avaliar o risco e direcionar o trabalho de controle do Aedes aegypti na cidade.

O estudo feito pela Divisão de Zoonoses mostra que o índice larvário de três das seis regionais da cidade (áreas que foram divididas e delimitadas pela SES para melhor planejamento e execução de ações) estão em nível de alerta: Norte, Noroeste e Centro Norte. As outras três – Sudoeste, Centro Sul e Leste – estão com índice considerado satisfatório; mas a média do município com um todo ficou em 1 (um), o que significa estado de alerta.

 

Combate ao mosquito não pode parar

O resultado geral da ADL reforça o apelo da SES à população. “As medidas preventivas contra o mosquito da dengue não devem parar. O tempo está seco, mas deve chover nos próximos dias. Vale lembrar que os ovos do mosquito podem sobreviver por até um ano”, alerta José Luís Chiquito Filho, diretor interino da Área de Vigilância em Saúde da SES. “Por isso, é necessário que todos os sorocabanos mantenham os hábitos preventivos contra a dengue, eliminando todo e qualquer tipo de material que possa acumular água e, assim, tornar-se um criadouro do Aedes aegypti, mosquito transmissor da doença”, completa.

Pelo menos uma vez por semana, cada cidadão deve eliminar de sua casa todos os objetos que possam acumular água de chuva. Além disso, também é preciso verificar se as calhas estão limpas e desobstruídas e se as caixas d´água estão tampadas.

Desde o início do ano até esta terça-feira (4), foi registrado um caso autóctone de dengue em Sorocaba.

 


Mais Notícias