Governo garante que GP Brasil fica em São Paulo

São Paulo 11 maio / 2019 às 18:39

Após reunir-se com o Prefeito Bruno Covas, na manhã desta sexta-feira (10), o Governador João Doria reforçou, em entrevista coletiva, que o Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1 continua em São Paulo até 2020, quando vence o contrato firmado entre os detentores do evento e a prefeitura da capital. Está agendada para junho uma reunião entre o prefeito Bruno Covas e os organizadores da F1 para discutir os termos para renovação contratual.

“Quero deixar bastante claro que o GP de Fórmula 1 está em São Paulo e continuará em São Paulo. Temos contrato com os promotores da F1 até 2020 e há multas pesadíssimas se qualquer uma das partes romper com esse acordo”, explicou o Governador.

Doria disse que respeita o desejo legítimo do Rio de Janeiro de querer levar o GP Brasil para a cidade, mas lembrou que São Paulo está mais estruturada para atender às necessidades do turistas que desembarcam na capital.

“Adoro o Rio, morei no Rio, tenho uma boa relação com o prefeito e o governador do Rio, mas vamos lutar para manter a F1 em São Paulo. Interlagos está entre os cinco melhores circuitos do mundo. Nossa rede hoteleira está estruturada e outro aspecto é de ordem econômica, conseguimos garantir o volume e preço médio que sustenta os lucros da F1. Somente no ano passado, 150 mil pessoas assistiram o GP Brasil”, detalhou o Governador.

O Grande Prêmio do Brasil é realizado em São Paulo desde 1990, no Autódromo José Carlos Pace, em Interlagos. Apenas em 2018, o Autódromo de Interlagos, como é conhecido, recebeu 150.307 mil pessoas, um aumento de 6,4% em relação ao ano anterior.

Por seu traçado desafiador, o circuito de Interlagos está entre os cinco melhores do mundo, e um dos mais elogiados pelos pilotos. O pentacampeão Lewis Hamilton, da Mercedes, diz que Interlagos é seu “calcanhar de Aquiles”. Para o holandês Max Verstappen, da Red Bull, “o desenho especial com algumas elevações de altura e o no sentido anti-horário do traçado adicionam mais diversão e desafio à corrida”.

O prefeito Bruno Covas falou sobre o impacto econômico que o evento traz para a cidade de São Paulo. “A F1 movimentou R$ 334 milhões em 2018, 20% a mais que em 2017. Isso gerou 10 mil empregos diretos e indiretos para São Paulo. Portanto, vamos defender São Paulo”, afirmou o Prefeito.

Covas também lembrou que, na quarta-feira (8), a Prefeitura de São Paulo enviou para a Câmara Municipal um projeto de lei em regime de urgência para a concessão do Autódromo de Interlagos.


Mais Notícias