Consulta pública define Matheus Maylasky para ser indicada no Programa Nacional da Escola Cívico-Militar do MEC

Educação 10 out / 2020 às 06:51

Após a realização de uma consulta pública feita pela Secretaria da Educação (Sedu), a E.M. “Matheus Maylasky” foi a unidade escolar escolhida para ser contemplada pelo Programa Nacional da Escola Cívico-Militar. A pesquisa apontou que 82,5% dos pesquisados na escola votaram favoráveis ao programa. O resultado da consulta pública será enviado ao Ministério da Educação (MEC) nesta sexta-feira (9).

A pesquisa foi disponibilizada aos pais ou responsáveis dos alunos e funcionários das seguintes escolas: E.M. “Dr. Achilles de Almeida”; E.M. “Prof. Flávio de Souza Nogueira”; E.M. “Dr. Getúlio Vargas”; E.M. “Leonor Pinto Thomaz” e E.M. “Matheus Maylasky”. As unidades atendem um dos critérios estabelecidos pelo programa: atendimento ao ensino fundamental ll. A consulta foi realizada maneira on-line e também com um formulário impresso.

O Programa Nacional da Escola Cívico-Militar é uma iniciativa do Ministério da Educação (MEC) em parceria com o Ministério da Defesa. O programa, que é gratuito, tem como norte um conceito de gestão nas áreas educacional, didático-pedagógica e administrativa que contará com a participação do corpo docente da escola e apoio dos militares.

De acordo com o MEC, o programa visa contribuir com a qualidade do ensino na educação básica, além de propiciar aos alunos, professores e funcionários e uma atuação focada na melhoria do ambiente e da convivência escolar.

O programa tem como ações a participação de atos cívicos, o desenvolvimento de espírito de civismo e patriotismo, estímulo de atitudes e elaboração e execução do ‘Projeto Valores’ que, segundo o MEC, estará em consonância com o Projeto Político Pedagógico (PPP) da unidade escolar.

Além de colaborar com as atividades educacionais, uma das ações é a implantação de um laboratório de Ciências e Informática. O programa contará com um monitor, que acompanhará as atividades fora de sala de aula, bem como a entrada, saída e intervalo dos estudantes. Os militares não ocuparão cargos dos profissionais da educação. Não haverá alteração no conteúdo das disciplinas, pois será seguida a Base Nacional Comum Curricular (BNCC).


Mais Notícias