Em greve, merendeiras de rede municipal fazem passeata e querem audiência com prefeito

Educação 07 abr / 2015 às 13:44

As merendeiras da rede municipal de ensino, em greve desde a segunda-feira (6), seguem  em passeata com destino a Prefeitura de Sorocaba.

As manifestações foram iniciadas na Praça Frei Baraúna, passaram pela São Bento, XV de Novembro, Marginal Dom Aguirre de devem chegar nos próximos minutos ao Paço Municipal.

De acordo com o sindicato da categoria, o Sindirefeições, o motivo da greve é o atraso no pagamento de salários e benefícios das merendeiras, serviço que é prestado na cidade pela empresa ERJ.

A Prefeitura de Sorocaba não informou se receberá as profissionais em greve.

 

ERJ

Nesta segunda-feira (6), a empresa divulgou nota sobre a situação. A ERJ alegou que o problema ocorreu por questões bancárias.  “Tivemos um problema,mesmo”, admitiu a empresa”. “O Bradesco Empresas ficou fora na quinta-feira (3) o dia todo, voltando a funcionar por volta de 18h, quando isso aconteceu, fizemos a transferência de outras contas da empresa para efetuar o pagamento da folha,  mas alguns valores
entraram depois do horário, o que fez com que parte dos pagamentos retornassem para nossa conta. Hoje (segunda-feira, 6). De um arquivo de R$ 180.000,00, foi debitado R$ 80.000,00. Infelizmente na sexta-feira foi feriado, por isso, não foi possível  resolver (o problema)”, complementa a nota da empresa que afirmou ainda que o problema seria resolvido nessa segunda-feira.

Câmara

Alvo de CPI na casa, o assunto foi comentado pelo vereador Pastor Apolo (PSD). “Mais uma vez as nossas crianças estão sem merenda por irresponsabilidade dessa empresa e por irresponsabilidade da Prefeitura de Sorocaba”, desabafou.

Calor Leite (PT), que participou de parte do ato, também se mostrou surpreso com a situação dos bancos relatados pelas merendeiras. De acordo com ele, o saldo chegou a constar como “veiculado”, mas desapareceu da conta.

 


Mais Notícias