Sorocaba terá curso gratuito de abelhas sem ferrão

Sorocaba 16 jan / 2020 às 11:51

Inscrições poderão ser feitas on-line a partir de segunda-feira (20). As vagas são limitadas.

O Parque Natural Municipal de Corredores da Biodiversidade (PNMCBio) “Marco Flávio da Costa Chaves” sediará de 4 a 7 de fevereiro, das 8h às 17h, um curso gratuito sobre abelhas nativas sem ferrão. A atividade é direcionada a apicultores e educadores com idade a partir de 18 anos e será ministrada pelo instrutor Nivaldo Aparecido Bertelli, do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).

Oferecido pelo Senar, em parceria com a Prefeitura de Sorocaba, por meio da Secretaria do Meio Ambiente e Sustentabilidade (Sema), e o Sindicato Rural de Sorocaba, o curso visa estimular a criação e conservação de abelhas nativas, além de capacitar técnicos para atuar na produção de crias, mel, cera e própolis e, também, em ações educativas.

Os alunos terão contato com técnicas de meliponicultura, biologia e ecologia das abelhas, conhecerão as espécies nativas da região de Sorocaba e a legislação pertinente à criação desse inseto.

As inscrições são gratuitas e poderão ser feitas a partir de segunda-feira (20) no site http://meioambiente.sorocaba.sp.gov.br. As vagas são limitadas. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail parquedabio@sorocaba.sp.gov.br ou pelos telefones (15) 3228.1256 ou (15) 3235.1130.

O Parque de Biodiversidade é a primeira unidade de conservação de Sorocaba e está localizado na avenida Itavuvu, 11.500, próximo ao Parque Tecnológico de Sorocaba (PTS), e abre de terça a domingo, das 9h às 17h.

 

Sobre os meliponários

O trabalho com os meliponários nos parques ecológicos faz parte do Projeto VivAbelha – Meliponicultura nos Parques de Sorocaba, uma parceria da Prefeitura de Sorocaba, por meio da Sema, com a Associação Paulista de Técnicos Apícolas (APTA), Federação de Associações de Apicultores e Meliponicultores do Estado de São Paulo (Faamesp) e a Cooperativa de Apicultores de Sorocaba e Região (Coapis).

O objetivo de implantar meliponários em parques naturais é sensibilizar a população sobre a importância da conservação das abelhas, que além de oferecer recursos alimentícios e medicinais e prestar serviços ecossistêmicos, possuem uma atuação ecológica fundamental na manutenção da nossa flora. A proposta do VivAbelha é também compartilhar os conhecimentos nesta área, integrando ciência e sociedade.

De acordo com a Sema, a iniciativa surgiu em 2013 no Parque Natural “Chico Mendes” e atualmente abrange também o Jardim Botânico “Irmãos Villas-Boas”. Hoje o principal trabalho do projeto é de educação ambiental, na busca de estimular as pessoas a conservar as espécies nativas de abelhas e divulgar sua importância para o meio ambiente.


Mais Notícias