“Print” de suposta conversa de WhatsApp indica articulação do presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais a favor da vice-prefeita em comissão processante. Salatiel diz ser “montagem” e Jaqueline nega a veracidade das imagens

Política 08 maio / 2019 às 18:39

Circulam nas redes sociais registros de supostas conversas envolvendo o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (SSPMS), Salatiel Hergesel, que demonstram uma suposta articulação para arquivar as denúncias investigadas pela comissão processante contra a vice-prefeita Jaqueline Coutinho (PTB). As imagens, que mostram uma conversa através do aplicativo WhatsApp, começaram a circular na noite desta terça-feira (7) e falam, inclusive, de um suposto “mensalinho” praticado entre parlamentares.

Não é possível saber com quem a conversa acontece, mas nas mensagens, Salatiel detalha planos a respeito da comissão processante. “Plano a: articulação da Jaqueline na Câmara se não aceitarem. Plano b: jogar todas as informações que você tem na imprensa para melar o afastamento de Jaqueline”.

Em outra imagem, que aparentemente seria da mesma conversa, Salatiel afirma estar tentando forçar vereadores a não cassarem o mandato de Jaqueline. “Estou em contato com o MP. Para forçar alguns vereadores a recuarem em querer cassar a Jaqueline. Preciso de ao menos uma prova que havia ou há mensalinho na Câmara. Se for com o Dini melhor ainda”. De acordo com as imagens, a conversa teria acontecido em 20 de abril, cinco dias antes da votação de abertura de comissão processante. A imagem, ainda, mostra respostas. “Entendi. Vamos correr em prol disso. Segunda estou em Sorocaba”.

 

O que dizem as pessoas citadas

As pessoas citadas no registro de conversa negam qualquer envolvimento. O presidente da Câmara, Fernando Dini (MDB), lamentou o teor da suposta conversa. “Acho lamentável, vindo de um representante de uma classe tão importante. Ele representa uma classe gigantesca. Muito terrível ele enquadrar o legislativo através de pseudo provas para constranger um vereador”, destaca. Dini está em Brasília, mas deve se reunir amanhã com colegas parlamentares para decidir qual será o posicionamento oficial da Câmara sobre o assunto.

Jaqueline Coutinho pôs em cheque a veracidade das imagens compartilhadas. A vice-prefeita afirmou que conheceu o sindicalista em 2017, e teve mais contato com ele quando assumiu a Prefeitura de Sorocaba. “Respeito o Salatiel. É um sindicalista que luta pela classe. Eu, pessoalmente, falo hoje, amanhã ou daqui a 100 anos: estou tranquila. As denúncias não encontram respaldo técnico jurídico”, ressalta. A ex-delegada também nega qualquer conluio com Salatiel. “Jamais pedi nada a ninguém. Não peço favores. A mim, resta fazer o que sempre fiz, agir dentro da legalidade”, afirma.

Já o Presidente do Sindicato, Salatiel Hergesel, publicou uma nota em sua página do facebook falando sobre o caso, e publicamos agora na íntegra:

 

“O professor Salatiel, servidor público e presidente do SSPMS, sempre teve uma postura muita clara em favor da sua categoria e contra qualquer tipo de corrupção ou desmandos de um governo que dificulta os serviços públicos municipais.
Na noite desta terça-feira (07), circulou nas redes sociais uma mensagem, que maldosamente estão atribuindo a ele, a autoria, dando o entendimento de que estaria pressionando a votação dos vereadores em relação as possíveis cassações de mandatos do prefeito e sua vice. Além de tentar causar constrangimento com o ótimo relacionamento que ele possui com todos os vereadores da Câmara Municipal, principalmente com seu presidente, o vereador Fernando Dini. Aliás, é importante dizer que na manhã da última terça-feira, ele esteve em reunião com o presidente Dini tratando de projetos que se referem a vida funcional dos servidores, além disso, o SSPMS, a convite do presidente tem uma parceria com a Câmara, formalizada por meio um programa semanal na Rádio Câmara, chamado “MOVIMENTO SINDICAL”, que vai ao ar todas as terças-feiras às 15h.
A mensagem publicada, ontem, trata-se de uma clonagem do seu whatsapp, e que já foi registrada em um boletim de ocorrência.
Salatiel também tem sido vítima de Fake News e perseguições veladas por meio de ligações de números privados, orientando a “ficar quieto”; “se afaste”, “pare de fazer denúncias”, cujas ligações também já foram devidamente levadas ao conhecimento da polícia.
O fato é que a coragem do Salatiel tem incomodado muita gente. Desde o início do seu mandato sindical ele vem de forma clara e objetiva trabalhando em favor da sua categoria, e contra o desperdício do dinheiro público, o que se agravou no governo do Crespo, esse que desde o início do seu mandato tem causado prejuízos financeiros e morais irreparáveis na vida dos servidores.
Sem contar que Salatiel vem denunciando ações gravíssimas como: a possibilidade de supostos contratos ilícitos feitos pela prefeitura; a compra dos livros didáticos do SESI; os mecanismos de terceirizações da saúde e educação sem transparência necessária; entrou com pedido de cassação de mandato de vereador na Câmara por ofensa aos professores; denunciou na Polícia Civil a senhora Tatiane Polis por usurpação de cargo público, o que se transformou num inquérito policial e CPI; é o autor do pedido de cassação do prefeito Crespo na Câmara Municipal; solicitou ao Ministério Público o afastamento do prefeito de Sorocaba por entender que o mesmo tem atrapalhado as investigações sobre os casos da CPI do falso voluntário e Casa de Papel.
Diante disso e outras demais denúncias, é obvio que a saída de seus opositores é manchar sua reputação e o respeito que ele adquiriu de forma honesta durante dezenas de anos frente ao movimento sindical.
Salatiel afirma que nada vai intimidá-lo, e vai continuar de forma honrosa, honesta e transparente lutando pelo fim da corrupção em Sorocaba”.

 

Integram a comissão processante contra Jaqueline Coutinho os vereadores Luís Santos (PROS), Anselmo Neto (PSDB) e Engenheiro Martinez (PSDB). A vice-prefeita é investigada por supostamente utilizar um ex-servidor do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) para serviços pessoais.


Mais Notícias