“Discussões acontecem”, afirma Rodrigo Manga, após desentendimento com Vitão do Cachorrão

Política 19 maio / 2018 às 15:47

Os ânimos entre o presidente da Câmara, Rodrigo Manga (DEM) e o vereador Vitão do Cachorrão (MDB) parecem estar mais calmos. Na manhã deste sábado, os dois participaram do programa Câmara de Bairro em Bairro, que aconteceu na Escola Municipal Avelino Leite de Camargo, no Jardim Nova Esperança.

Durante o evento, os munícipes participantes têm a oportunidade de fazer perguntas aos vereadores, e uma delas, Sarah Battista, questionou como ficaria a relação entre os dois vereadores, após a rejeição do Projeto de Emenda à Lei Orgânica do Município (PELOM), que obrigava a Prefeitura a ter autorização da Câmara em novas terceirizações. Vitão votou contrário ao projeto, e ele foi rejeitado.

“Gosto muito dele. Tem alguns vereadores que a gente é colega, a gente respeita todos. Quero ajudar a administrar a cidade. Não adianta ficar de ‘picuinha’ e a cidade sofrer. Quero representar vocês. Deus sabe de tudo, e o tempo diz tudo”, ressaltou Vitão.

Já Manga explicou que não tem nada pessoal contra o colega parlamentar, e disse que as discussões são naturais. “Eu tenho dois irmãos, eu já dei soco em um deles, um deles já deu soco em mim. As pessoas que se amam, uma hora brigam, é normal. O Vitão é um homem do povo, que luta pela população. É humilde, trabalhador, e vai continuar sempre assim”.

O PELOM encabeçado por Manga precisava de 13 votos para ser aprovado, mas contou apenas com 12. Além de Vitão, votaram contra os vereadores Fausto Peres (Podemos), Irineu Toledo (PRB), José Apolo (PSB), Rafael Militão (MDB) e Wanderley Diogo (PRP).


Mais Notícias