Taxistas lançam serviço compartilhado em Sorocaba com tarifa fixa de R$ 5,00

Sorocaba 13 set / 2018 às 08:49

Com uma queda que pode superar 50% no faturamento após a implantação do transporte por aplicativos em Sorocaba, que foi regulamentado, os taxistas de Sorocaba decidiram responder com o lançamento de um novo sistema: o táxi compartilhado. O serviço inicia sua operação nesta quinta-feira (12), às 6h, e mesmo sem divulgação, conta com 180 taxistas fazendo parte do grupo. Além disso, a categoria aposta no uso do aplicativo WhatsApp para receber as demandas das corridas e atender os usuários com tarifa máxima de R$ 5,00.

Segundo o taxista Carlos Eduardo Cruz, um dos idealizadores do movimento em Sorocaba, a ideia é o Táxi se reinventar. Para ele, a lei federal 13.640/2018, é o que regulamenta o transporte remunerado privado individual de passageiros. “Ela deixa bem claro que o serviço pode ser feito por táxi ou aplicativos. Então, vamos unir o útil ao agradável. Nós não queremos brigar com ninguém, nem com aplicativos, nem com a Prefeitura. Só precisamos resgatar um serviço que já existe”, contou. Para ele, o “táxi compartilhado é o caminho da autorregulamentação do mercado e ao mesmo tempo propor um transporte com valor mais acessível para a população”.

Para solicitar o serviço, basta o passageiro localizar o táxi com a identificação presa no vidro de “Táxi Compartilhado” ou enviar uma mensagem de WhatsApp para o número (15) 99615.8845, informando o local de destino ao taxista. Nesse sistema, o taxista pode levar nos trechos pré-definidos. O valor é fixo em R$ 5,00 por pessoa, independente da distância, dentro de Sorocaba.

Uma corrida, no exemplo citado pelo taxista, da rodoviária de Sorocaba até o Parque São Bento, custa aproximadamente R$ 45,00 no táxi tradicional. Com o modelo compartilhado, o custo seria de R$ 5. “Acreditamos que a população vai aderir ao serviço. Você levando quatro passageiros, já soma R$ 20,00. Trazendo quatro, são mais R$ 20,00. É bom para o usuário, que vai pagar mais barato, é bom para o taxista também”, afirmou. Os trabalhadores afirmam que as ideias têm o objetivo de “resgatar” os passageiros e sobreviver no mercado.

Carlos explica que o grupo de taxistas não descumprirá a legislação vigente, e vai rodar com os taxímetros ligados. “Vai ser bom para a população, conferir o valor do taxímetro e saber o valor que ela vai pagar realmente para os taxistas. Vamos cumprir as normas de táxi que já existem”, relatou. Segundo ele, um dos objetivos é que os carros não andem vazios.

A confusão começou em 3 de agosto, quando o prefeito José Crespo (DEM) publicou o decreto 23.943 em que impunha uma série de regulamentações para a atuação dos motoristas por aplicativos. Comemorado pelos taxistas, o decreto limitava o número de motoristas de aplicativos, obrigava que eles tivessem carros com placas de Sorocaba e que apresentassem certidões mobiliárias e imobiliárias — que mostram se têm ou não dívidas com o município.

No último dia 28, após muita discussão entre as duas categorias, o prefeito voltou atrás e abrandou algumas regras, o que agradou os motoristas por aplicativo, mas deixou os taxistas insatisfeitos, acusando a concorrência, segundo eles, “desleal” deste tipo de serviço. Os ajustes constam do Decreto nº 24.007.


Mais Notícias