Sorocaba se apresenta na 2ª Mostra de Experiências em Vigilância Socioassistencial

Sorocaba 08 jun / 2018 às 17:18

Sorocaba será representada na 2ª Mostra de Experiências em Vigilância Socioassistencial, pela assistente social Taline Libanio, da Secretaria de Igualdade e Assistência Social (Sias). O evento ocorrerá de 19 a 21 de Junho, durante o XI Encontro Nacional de Vigilância Socioassistencial, em Brasília.

O objetivo principal da Mostra é identificar e dar visibilidade a iniciativas municipais e estaduais na área da Vigilância Socioassistencial. O evento busca com isso valorizar o trabalho das equipes técnicas que efetivam a vigilância socioassistencial no seu cotidiano, bem como incentivar e consolidar a implantação desta perspectiva de gestão em todo o país.

Foram inscritos mais de 130 trabalhos de 110 municípios distintos e, desses, 35 foram selecionados, escolhidos como cidades que apresentam as melhores experiências em Vigilância Socioassistencial. Dentre eles, está Sorocaba, que foi escolhida, juntamente com mais três cidades, para se apresentar em uma mesa de debates, de forma oral. As demais cidades terão sua pesquisa exposta em formato de banner.

A escolha dos municípios participantes teve como critérios, o potencial de replicabilidade da experiência, a originalidade, a possibilidade de articulação com demais serviços, o potencial da experiência em fortalecer o Sistema Único da Assistência Social e a participação social.

O artigo escrito por Taline, que levou Sorocaba a ser classificada, tem como tema “Violações de direitos: identificar para combater, compreender para prevenir! Diagnóstico social dos locais de agressão e do perfil de mulheres vitimadas no município de Sorocaba/SP”, e nele foram identificadas as regiões com maior incidência de violações de direito contra a mulher no município, além de, reconhecer o perfil das vítimas, dos agressores, e as demandas para os serviços especializados.

“No final de 2017, realizei uma pesquisa e encontrei altos índices de violência e mortes violentas ocorridas naquele período, (em 48 dias, 6 mulheres foram assassinadas de forma violenta na região), então, o que me motivou a escrever o artigo, foi a ideia de divulgar a violência contra a mulher, pois, a divulgação pressupõe que, mulheres que ainda não tiveram coragem de realizar uma denúncia, terão mais referências para fazê-lo”, conta a assistente social que representará Sorocaba no Distrito Federal. “Apresentar esse artigo em um encontro tão importante é uma realização profissional. Participei do processo de implantação da Vigilância Socioassistencial em Sorocaba e desde 2014 atuo nesse setor, portanto, ter esse reconhecimento me deixa muito feliz e motivada para continuar trabalhando em defesa da população usuária da política pública de Assistência Social”, concluiu.

Ainda segundo ela, as pesquisas e análises, colaboram na prevenção da violência contra a mulher também através do fornecimento dos dados para os CRAS, CREAS e CEREM, que usam as informações para o planejamento de suas atividades de prevenção ou atendimento de forma mais direcionada.


Mais Notícias