Prefeitura de Sorocaba será a primeira do Brasil a utilizar o sistema de Aquaponia de maneira social

Sorocaba 25 jan / 2019 às 16:30

O projeto-piloto deve ser realizado no Cras localizado no Residencial Carandá, beneficiando toda a comunidade do bairro e também do Altos do Ipanema

Após definido em encontro realizado entre diversas secretarias municipais na última semana, a Prefeitura de Sorocaba será a primeira do Brasil a utilizar de maneira social o sistema de aquaponia — técnica agrícola inovadora que combina a aquicultura (criação de peixes) com a hidroponia (produção agrícola sem solo) em um sistema fechado, resiliente a eventos destrutivos decorrentes das mudanças climáticas. A ação deve ser realizada em conjunto com a INMED – Partnerships for Children, entidade internacional sem fins lucrativos que combate a desnutrição e a má alimentação infantil.

Ao tomar conhecimento desse projeto na visita que recebeu no final de 2018 da Dra. Linda Pfeiffer, presidente global da ONG, o prefeito José Crespo ficou entusiasmado com a possibilidade de implantação dessa nova forma de fornecer alimentos de qualidade e promovendo a cultura da alimentação saudável com baixo custo para as comunidades mais carentes, aos moldes das ações já desenvolvidas na Jamaica, Peru e Afríca do Sul. Na oportunidade, inclusive, A Dra. Linda defendeu que Sorocaba fosse a primeira cidade a adotar o sistema.

A INMED – Partnerships já impactou mais de 2,5 milhões de crianças (só no Brasil) e 10 milhões de pessoas no mundo nas áreas de saúde, educação e cultura. A ONG desenvolveu um sistema simples, escalável e de baixo custo, utilizando materiais disponíveis localmente, para fornecer de forma sustentável e durante o ano todos produtos agrícolas e peixes para famílias, comunidades, escolas e instituições governamentais.

De acordo com Manoel David Korn de Carvalho, Diretor-chefe da Promotoria Econômica, o sistema trará uma série de benefícios à cidade, a começar pela segurança alimentar, baixo custo, alta produtividade e retorno rápido. “Usando um modelo de três pilares: treinamento técnico, acesso a financiamento e ligação com o mercado, o projeto permitirá que pequenos produtores e empreendedores iniciantes adotem o agronegócio sustentável. Com esse sistema, economiza-se 90% de água, o que não aconteceria na agricultura comum, além da não utilização de fertilizantes químicos ou pesticidas e produzir durante todo o ano. No ponto de vista da área social, haverá nutrição adequada e geração de renda para a população carente”, explicou Manoel David, que também foi designado pelo prefeito para coordenar a implantação do projeto por ter sido o responsável pela vinda da Dra. Linda a Sorocaba.

Para realizar a implantação dessa ação, a Prefeitura de Sorocaba deve contribuir integrando a sociedade, disponibilizando a área e envolvendo o setor produtivo para que patrocinem financeiramente o projeto que não terá utilização de recursos públicos. Já a INMED Partinerships for Children deve implementar a técnica e capacitar a população. O projeto-piloto será realizado no Centro de Referência em Assistência Social (Cras), localizado no Residencial Carandá e deverá beneficiar a toda comunidade do bairro e também do Altos do Ipanema.

Foi constituída uma força-tarefa para a implantação do projeto, com representantes de diversas secretarias: Igualdade e Assistência Social (Sias), Planejamento e Projetos (Seplan), Educação (Sedu), Agricultura, Abastecimento e Nutrição (Seaban), Habitação e Regularização Fundiária (Sehab), Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda (Sedeter), Cidadania e Participação Popular (Secid), Meio Ambiente (Sema), além do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae-Sorocaba).


Mais Notícias