GIZ apresenta estudo sobre viabilidade de bicicletas elétricas

Sorocaba 03 dez / 2019 às 11:14

Mais um projeto do acordo de cooperação firmado entre Brasil e Alemanha foi apresentado à Sorocaba nesta segunda-feira (02), com a exposição do resultado do estudo sobre Sistemas de Propulsão Eficiente, que tem como objetivo analisar a viabilidade de implantação de bicicletas elétricas para a mobilidade urbana. Sorocaba é um dos municípios do projeto-piloto apresentado pelo Ministério do Desenvolvimento Regional e pela GIZ (Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit GmbH), que atua para o desenvolvimento urbano sustentável. A consultoria que resulta nesse estudo sobre Sistemas de Propulsão Eficiente não tem custos para a Prefeitura de Sorocaba e fica pronto e disponível para a sua aplicabilidade, assim que houver momento oportuno.

O resultado apresentado pela GIZ e pela GFA (Consulting Group) à Urbes – Trânsito e Transportes e à Secretaria de Mobilidade e Acessibilidade demonstrou que Sorocaba tem capacidade de receber a bicicleta elétrica como modo de transporte eficiente, já que possui extensa malha cicloviária, estrutura essa que favorece e incentiva o uso do modal. As bicicletas elétricas viriam somar ao Programa Integrabike, já existente na cidade, e para promover a integração entre os modais bicicleta e ônibus, além de cumprir com as premissas do PDTUM (Plano Diretor de Transporte Urbano e Mobilidade) de Sorocaba e estar em consonância com as políticas públicas para a redução de emissão de poluentes.

De acordo com a exposição feita pela GFA, investir em bicicletas elétricas incentiva o modo de transporte de alta eficiência, contribui para a redução da circulação de veículos motorizados e otimiza o espaço viário. Isso sem contar com os benefícios para a pessoa, como a redução do estresse, aumento da qualidade de vida e por promover hábitos saudáveis.

Agora, para oferecer a bicicleta elétrica como opção de modal, Sorocaba precisará buscar recursos para a implantação e operação do sistema, seja via parcerias ou financiamento. Outras medidas complementares a serem aplicadas são o investimento em travessias seguras para os ciclistas, redução de velocidade das vias em que há maior circulação de bicicletas e redesenho viário.

Outros estudos já realizados

Em Sorocaba foram desenvolvidos estudos avançados como a definição de indicadores para controle e gestão do transporte coletivo; otimização de Rede de Transporte Público com objetivo de ofertar o sistema de transporte com maior frequência, confiabilidade e atratividade em consonância com o BRT, VLT, ciclovias e sistema de circulação em calçadas; a gestão da política de estacionamento, notadamente nas áreas servidas pelos eixos do sistema de transporte, e a implantação de vias integrais, que priorizam rotas acessíveis ao pedestre.


Mais Notícias