“Professorinha ensinando à crianças; a adultos; ao povo; toda a arte de ser, sem esconder o ser”

publi-editorial 12 ago / 2020 às 18:19

Élide Martins Rodrigues é uma sorocabana de coração apaixonado pela cidade. Professora de inglês de formação, atualmente trabalha como diretora de um renomado colégio local. “Moro aqui desde o meu nascimento. Tenho dois filhos que foram para São Paulo para estudar, mas eu continuo aqui em Sorocaba guardando o ninho”, brinca.

Como muitas das histórias de sobrepeso e dificuldade para emagrecer, tentativas frustradas com todas as dietas possíveis e imagináveis, a trajetória de Élide não foi diferente. Apesar de saber e de ensinar a respeito de alimentação saudável… nem sempre conseguia levar o ensinamento para o seu dia a dia repleto de compromissos.

Ela já estava desiludida e desacreditada de que conseguiria recuperar o seu peso ideal quando várias pessoas ao seu redor começaram a falar do Projeto Eu. “Primeiramente um médico, depois minha mãe que tinha uma conhecida que havia passado pelo Projeto, juntamente com a filha e o genro, e tinham se transformado, literalmente. Minha mãe, inclusive, depois de me falar a respeito, um dia me trouxe um folheto. Não tive dúvidas: fui conhecer esse lugar junto com um amigo”, relembra. Hora marcada e lá foram os dois. “Fomos muito bem recebidos. Tiramos nossas dúvidas e ficamos bastante animados. Gostamos de tudo o que vimos e ouvimos. E eu logo aderi ao programa”.

Élide chegou no Projeto Eu, em novembro de 2019. “Na ocasião, fiquei em dúvida se deveria iniciar no fim do ano… as festas estavam tão próximas! Mas decidi não perder mais tempo”, conta.

E lá se vão 10 meses. Dificuldades? Muitas! Adaptação? Sim! “Todo início de dieta é difícil. Ter de deixar os velhos hábitos para trás, ter de pesar os alimentos, e além de tudo… planejar um cardápio. Tudo era tenso para mim. Minha maior dificuldade foi deixar de comer pão no café da manhã. Hoje estou para lá de habituada. O mais importante foi que não desisti!”, diz.

As receitas propostas nas aulas de culinária, o auxílio luxuoso da nutricionista Débora Caldini, todas essas orientações fizeram a diferença durante o processo de reencontro com a sua essência. “A Débora passou alguns livros para eu aprender mais a respeito da dieta, além de um sem número de dicas valorosas. Quem faz as receitas para mim geralmente é a Tati, que trabalha em casa. Ela está craque. É uma verdadeira Chef”, destaca com imenso carinho.

Durante esse tempo, outro setor da vida da Élide mudou radicalmente: o sedentarismo deu lugar às atividades físicas que fazem parte da programação, além de meditação e os grupos terapêuticos. “Resolvi pegar firme mesmo com a pandemia. O Projeto Eu propôs as aulas com o personal trainer e eu topei. Faço três aulas semanais e também caminhada cinco vezes por semana. Essa é minha melhor performance até agora. Estou animada! Os preparadores físicos são ótimos e a professora Fabi Silva não me deixa desistir”, conta muito animada com a nova fase. Ela também fala que não deixa de cuidar do corpo com massagens na Estética Eu.

Com toda essa dedicação, Élide deixou ir 23 quilos. “Estou mais motivada, mais vaidosa”, comenta. Para chegar à Fase Eu ainda precisa eliminar mais oito quilos. “Estou confiante. Sinto-me tão melhor. Acredito que seja também pela participação no grupo terapêutico. Nunca tinha feito terapia antes. Fiquei receosa a princípio, mas logo me senti muito bem em participar. Hoje acho esse um apoio fundamental. É incrível o quanto ajudamos e motivamos uns aos outros”.

“O projeto Eu representa uma transformação muito importante na minha vida. Um recomeço. Achei que jamais conseguiria emagrecer sem medicamentos ou sem algum tipo de ajuda mais invasiva. Já haviam me dito, inclusive, que deveria fazer cirurgia bariátrica e fiquei chocada! Como minha família era totalmente contra resolvei procurar o Projeto e estou conseguindo! E ainda como ganho adicional… fiz ótimos amigos!”, finaliza.


Mais Notícias