Moça, não espere flores… faz da tua alma teu próprio jardim

publi-editorial 06 ago / 2020 às 14:13

Ser feliz do jeito que se é, não mudar a rotina pelo que os outros exigem de você, e simplesmente viver de acordo com o seu jeito de ser é para poucos. Maria do Carmo Pinto de Souza, bancária aposentada, apesar de ter nascido em uma grande família e de estar mais próxima dos irmãos neste momento de pandemia, viu seu filho único ir morar em São Paulo e resolveu aproveitar para cuidar um pouco mais de si mesma. “Faço terapia e a minha psicoterapeuta, que sempre me auxiliou nas questões de compulsão alimentar, considerando a minha real vontade de perder peso com saúde, indicou que procurasse o Projeto Eu. Fui conhecer e adorei”, relembra com carinho. Isso aconteceu no fim de abril de 2017. “Visitei o Projeto na parte da manhã, fiquei encantada com a oportunidade que me foi apresentada, e fiz o contrato no mesmo dia. Fui muito bem recebida pela recepcionista e logo em seguida já passei em consulta com a nutricionista, depois com o educador físico e fizeram o agendamento de consultas com médico e psicoterapeuta. Todos me trataram com muito carinho, como se eu fizesse parte dessa família. Além disso, o Projeto conta com uma infraestrutura muito boa que constantemente vem tendo melhorias, com base no período que venho frequentando lá”, relata.

Carmo vinha em uma trajetória alimentar bastante irregular, com muitos carboidratos e doces, por isso houve um estranhamento à dieta na primeira semana. “Com o passar dos dias, fui me adaptando bem às receitas propostas e quando percebi, já estava comendo de acordo com o que a nutricionista havia passado. Hoje não vejo mais como uma ‘dieta’, e sim, como algo que faz parte da minha rotina”, conta. E sempre que dá tempo, Maria do Carmo prepara as receitas que a professora de culinária, Andréa Arcuri propõe em suas aulas semanais. “Além de saudáveis, são superdeliciosas”, diz.

Engajar-se nas atividades físicas foi o próximo passo que Maria do Carmo resolveu dar em busca do seu Eu. “Sempre gostei de me exercitar, mas estava há um bom tempo afastada da academia, por ter de cuidar da minha mãe idosa. Porém, conforme fui entrando no ritmo, consegui adaptar meu dia a dia, e atualmente amo dedicar todas as minhas manhãs ao Projeto Eu”, fala com seu sorriso tão expressivo e complementa, “uma das aulas de que mais gosto é a de dança, pois sempre amei dançar e é uma terapia para mim. Todas as aulas são muito prazerosas, na verdade”.

Um dos pilares do Projeto Eu é o atendimento terapêutico. Maria do Carmo já fazia terapia individual, porém adorou ter a possibilidade de participar de um grupo que busca o bem-estar, compartilha ideias inovadoras, experiências de vida, ajudando um ao outro a superar as dificuldades que o processo de emagrecimento sempre traz. E isso foi uma novidade para ela. “Sem falar na criação de novas amizades que com certeza levarei para toda a minha vida”.

Onze quilos mais feliz, Carmo está na Fase Eu há aproximadamente dois anos, “mas sinto que ainda falta emagrecer alguns quilinhos, ainda que somente pela minha satisfação pessoal”, revela.

Segundo ela, o Projeto Eu é uma experiência completa. “Lá eu consegui me ver como a pessoa mais importante da minha vida. Hoje me dou o direito de investir na minha saúde e na minha qualidade de vida sem culpa e sem a sensação de sempre ter de somente cuidar dos outros. Não consigo me ver fora do Projeto, pois o considero como a minha segunda casa, onde convivo com profissionais muito competentes de todas as áreas, com amigos maravilhosos e verdadeiros que conheci e com quem passei a conviver fora de lá também”, ressalta. Mas Maria do Carmo também esclarece que fazer parte do Projeto Eu é mais do que isso. “Representa superação e muitas conquistas de objetivos.. que não passavam de tentativas até então e vinham ocorrendo sem sucesso. Mesmo agora na pandemia, continuo usufruindo de todos os benefícios e facilidades on-line. Ainda que com a distância, sinto-me como se estivesse convivendo com todos, e minhas manhãs continuam sendo dedicadas ao retorno à minha essência dentro das atividades propostas”, finaliza.

Verdadeiramente o amor-próprio é um caminho sem volta na vida dessa elegante e sorridente mulher de sucesso.

 


Mais Notícias