Vice-prefeita Jaqueline Coutinho abre boletim de ocorrência contra José Crespo

Política 22 abr / 2019 às 19:50

A Vice-prefeita Jaqueline Coutinho (PTB) abriu um boletim de ocorrência contra o prefeito José Crespo (DEM) na manhã dessa segunda-feira (21), por injuria e difamação. A informação foi divulgada em uma coletiva de imprensa no escritório do advogado Márcio Rogério Dias.

O representante da vice-prefeita informou que a cliente teria recebido documentos ligados ao Gedai (Grupo Estratégico de Ação na Internet), que supostamente comprovariam que Crespo orquestrava “ataques” à Jaqueline Coutinho e outros opositores. As informações teriam sido tiradas de e-mails apreendidos pela Polícia Civil.

Pedido de cassação

De acordo com Dias, o autor do pedido de abertura de comissão processante contra a vice-prefeita teria ligação com Tatiane Polis, investigada no caso do falso voluntariado na prefeitura de Sorocaba. “Há indícios que essa pessoa também tenha relação com ela. Essa Taty Polis, ao que tudo indica está ligada a essa organização Gedai. Quem vai apurar é o Ministério Público,” destacou Dias que também alegou um suposto “complô” contra sua cliente, “parece que há interesses, há pessoas norteadas com o fim de falar mal, de desrespeitar e tratar a Dra. Jaqueline como desonesta.”

Assinaturas falsas

Um laudo de exame grafotécnico pedido pela defesa da vice-prefeita comprovaria que a portaria de nomeação do funcionário do Serviço Autônomo de Água e Esgoto, que supostamente atuava a favor de Jaqueline, não teria sido assinada pelo diretor da autarquia, Ronald Pereira da Silva.

A defesa alega que a nomeação não tem validade e acredita que essa informação deve dar um novo rumo a abertura do pedido de cassação contra a vice-prefeita na Câmara Municipal. “Uma pessoa que não trabalhou com ela, que estava em outra autarquia. Agora veio à tona que a portaria sequer foi assinada pelo diretor do SAAE. Se o documento é nulo, na minha ótica estão maculados todos os atos processuais.” garantiu o representante.

O diretor do Saae, Ronald Pereira da Silva foi procurado e garantiu que teria assinado a nomeação do funcionário. “A assinatura do documento é minha e isso vai ser demonstrado no andamento do processo. A minha inocência vai ser comprovada, até porque eu não me beneficiei em nenhum sentido,” explicou o funcionário da autarquia.

A vice-prefeita de Sorocaba é investigada em duas ações movidas pelo SAAE e pelo Ministério Público. O pedido de abertura de comissão processante contra Jaqueline Coutinho recebeu um novo aditamento e não será lido na próxima sessão câmara dos vereadores de Sorocaba que será realizada amanhã (23).

A Prefeitura Municipal foi questionada, e comunicou que não se manifestará sobre o caso porque “desconhece o teor” dos documentos apresentados pelo advogado Marcio Rogério Dias.


Mais Notícias