Vereadores fiscalizam atendimento a pacientes no Conjunto Hospitalar de Sorocaba

Política 10 out / 2021 às 19:27

Os vereadores Fausto Peres (Podemos), Fábio Simoa (Republicanos) e Silvano Jr (Republicanos) visitaram, na tarde desta sexta-feira (08), o Conjunto Hospitalar de Sorocaba, onde foram recebidos pela presidente da organização social que administra a unidade, Maristela Honda, e pelo gestor do Conjunto Hospitalar, Dr. Edson Hayashi.

Os parlamentares fiscalizaram o atendimento e a administração da OS Serviço Social da Construção Civil do Estado de São Paulo (Seconci-SP), responsável pela gestão dos hospitais que são referência para 48 cidades da região de Sorocaba e 2,5 milhões de habitantes. Eles quiseram saber dados do atendimento aos pacientes da Radioterapia, novo setor inaugurado nos próximos meses e deve receber em breve um acelerador linear.

Os vereadores também verificaram a situação dos mais de 210 pacientes de hemodiálise atendidos pelo CHS, os ostomizados com 1 mil pacientes por mês,  e também da Farmácia de Alto Custo, que atende presencialmente mais de 14 mil pacientes por mês.

As atividades assistenciais são realizadas em três prédios: Hospital Dr. Lineu Mattos da Silveira, Hospital Leonor Mendes de Barros e Ambulatório de Especialidades Dr. Nelson da Costa Chaves. Também faz parte do Conjunto a Farmácia de Alto Custo.

Fábio Simoa criticou a situação das imensas filas da Farmácia de Alto Custo, fato relatado por muitos moradores. “Eu venho todo mês fazer minha doação de plaquetas aqui em frente e observo essa situação, converso com as pessoas. É uma situação muito complicada. Mesmo com agendamento, o atendimento demora demais”, disse o vereador. De acordo com o Seconci, a falta do cumprimento dos agendamentos por grande parte dos pacientes explica a demora. O vereador pediu um relatório de dados.

O vereador Fausto Peres afirmou que a reclamação da população é relativa à falta de informação sobre vagas, fila de atendimento do CROSS. “Nós somos procurados com muitas críticas sobre o sistema de distribuição dos casos. Queremos entender o que está acontecendo. O município não pode ficar refém de um sistema administrativo. Ele precisa ser atendido”, salientou.

Silvano Jr. criticou a demora no atendimento aos pacientes com câncer. “A gente vê a dificuldade das pessoas. Tem casos que precisam esperar mais de 7 meses e você vê e não acredita que alguém mandou esperar tanto tempo. É inadmissível isso aí, um desrespeito com a população “, destacou o vereador.

Os parlamentares solicitaram balanços dos atendimentos feitos pelo Seconci-SP, que administra o CHS desde 2018.

O pronto socorro do CHS atende as especialidades de clínica médica, ortopedia, cirurgia geral e cirurgia do trauma, pediatria, ginecologia/obstetrícia, neurologia, cirurgia bucomaxilofacial, cirurgia vascular, queimados, cirurgia torácica e psiquiatria.

Atualmente o CHS conta com 350 leitos operacionais para internação divididos entre as seguintes clínicas: médica (42 leitos), cirúrgica (156 leitos), obstetrícia (19 leitos), pediatria (16 leitos), psiquiatria (15 leitos), queimados (4 leitos), patologia obstétrica (12 leitos) cuidado intermediário neonatal (20 leitos) e adulto (08 leitos) e UTI adulto (30 leitos), pediátrica (10 leitos) e neonatal (18 leitos).

Para o atendimento da demanda cirúrgica prevalente, o CHS conta com 10 salas cirúrgicas hospitalares, 2 salas cirúrgicas ambulatoriais, 4 salas cirúrgicas obstétricas e realiza cirurgias nas especialidades de: cancerologia, cabeça e pescoço, aparelho digestivo, geral, pediátrica, plástica, torácica, vascular, ginecologia/obstetrícia, dermatologia, neurocirurgia, ortopedia e traumatologia, mastologia, urologia e bucomaxilofacial.

Seconci

O Serviço Social da Construção Civil do Estado de São Paulo – Seconci-SP é uma entidade filantrópica, sem fins lucrativos, fundada em março de 1964 por um grupo de empresários do setor para atender os trabalhadores da construção e seus familiares e tem como missão promover ações de assistência social, nela incluída saúde, educação e demais atividades afins.

Com sede na capital, o Seconci-SP mantém Unidades Ambulatoriais no ABC, Bauru, Campinas, Cubatão, Mogi das Cruzes, Piracicaba, Praia Grande, Ribeirão Preto, Riviera de São Lourenço, Santos, São José dos Campos e Sorocaba, que realizam atendimentos médicos, odontológicos, exames, serviços complementares e de apoio.

O Seconci-SP, em 1998, participou de processo de qualificação da primeira geração de Organizações Sociais de Saúde (OSS) do país. Na rede pública estadual, o Seconci-SP é responsável pela gestão do Hospital Geral de Itapecerica da Serra (HGIS), do Hospital Estadual Vila Alpina (HEVA), do Hospital Regional de Cotia (HRC), do Hospital Estadual de Sapopemba (Hesap), do Hospital Local de Sapopemba, do Ambulatório Médico de Especialidades (AME) “Dr. Luiz Roberto Barradas Barata”, do AME Sorocaba, do AME Caraguatatuba, do AME Dr. Geraldo Bourroul, do Centro Estadual de Armazenamento e Distribuição de Insumos de Saúde (Ceadis), do Serviço Estadual de Diagnóstico por Imagem (Sedi) II e da Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (Cross).


Mais Notícias