Prefeitura desmente informações sobre supostos shows de Luan Santana e Pabllo Vittar

Política 04 jan / 2020 às 14:55

A Prefeitura Municipal de Sorocaba divulgou uma nota oficial, na tarde desta sexta-feira (03), desmentindo a realização dos supostos shows do cantor sertanejo Luan Santana e cantora Pabllo Vittar na cidade. A informação foi anunciada pelo vereador Rodrigo Manga (DEM) em suas redes sociais.
Em uma transmissão ao vivo, o parlamentar questionava o uso da verba pública para custear as atrações, uma vez que a cidade estaria enfrentando uma crise na saúde. “Mais lamentável ainda é saber que a Prefeitura está querendo gastar R$ 1 milhão para fazer um show possivelmente para trazer o Luan Santana e o Pabllo Vittar e as pessoas sem vagas nos hospitais da cidade,” afirmou o democrata.
De acordo com a Secretaria de Cultura (SECULT) tais shows não fazem parte do calendário oficial de eventos da pasta municipal para 2020. “A Secult garante, ainda, que a realização de um show não tem o menor cabimento e desconhece a fonte e origem de tal informação, disseminada por vereador,” ressaltou a Secult
Conforme divulgado pela municipalidade, com um orçamento de pouco mais de R$ 13 milhões para este ano, a pasta tem programados apenas eventos como carnaval, festa do tropeiro, aniversário de Sorocaba, parada gay, desfile cívico, dia das crianças e aniversário do parque dos espanhóis, consciência negra e feira crespa, hip-hop, virada cultural paulista, além das festividades natalinas.
Devido a repercussão, a Secretaria de Comunicação (SECOM), divulgou na página oficial da Prefeitura no Facebook, uma publicação negando novamente os supostos eventos. “Informações deturpadas visam induzir em erro a opinião pública,” lia-se na imagem.
Rodrigo Manga foi questionado sobre a origem da informação divulgada nas redes sociais. Em resposta, o democrata afirmou que teria recebido “informação de bastidores” e que não divulgaria sua fonte. O parlamentar alegou que “pessoas da própria secretaria” teriam divulgado a intenção do Poder Executivo de trazer os dois cantores.

Críticas a transmissão do cargo

Na publicação nas redes sociais, Rodrigo Manga também criticou a decisão da prefeita Jaqueline Coutinho (sem partido) de transmitir o cargo ao presidente do Poder Legislativo, o vereador Fernando Dini (MDB). “Vai ter festa hoje que a prefeita vai viajar e o outro vai assumir. Poxa, que festa para isso, gastar dinheiro com isso. A população sofrendo, morrendo. Tomem vergonha na cara,” disparou o democrata.
A legislação determina que a transição só é obrigatória caso o chefe do Executivo se ausente da função por mais de 14 dias, caso contrário, a ação é facultativa.
Crítico à “festa” da atual transição, o democrata também já recebeu o cargo do antigo prefeito, agora cassado, José Crespo (DEM), quando presidia o Legislativo em seu biênio de 2017 a 2018. À época, em 29 de agosto daquele ano, o parlamentar assumiu como chefe do Poder Executivo por apenas três dias, período em que o colega de partido estaria viajando para o Rio de Janeiro.
Na ocasião, a vice-prefeita estava licenciada da função para concorrer ao cargo de deputada estadual, por isso, o Manga que seria o próximo na linha sucessória, subiu ao Palácio dos Tropeiros e sentou-se na cadeira como prefeito de Sorocaba.
Após suas 48h como prefeito, Manga divulgou um balanço dos trabalhos no Palácio dos Tropeiros. Na publicação o vereador elencava ações como o lançamento do projeto Feira Limpa, o anúncio do programa de estágio não remunerado na prefeitura, o decreto que oficializava a possibilidade de efetivação de parcerias com a iniciativa privada, sem custos ao município.


Mais Notícias