Eleição para Presidência da Câmara Municipal agita bastidores; Vereador classifica apoio de Crespo como ‘desumano’

Política 26 out / 2018 às 19:48

As eleições de 2018 ainda não acabaram, mas os bastidores políticos de Sorocaba são movimentados por outra eleição, que será realizada em dezembro e tem apenas 20 eleitores, apesar de ser considerada fundamental para os próximos dois anos: a Presidência da Câmara Municipal. Os vereadores Fernando Dini (MDB), com o apoio do prefeito José Crespo, e José Francisco Martinez (PSDB) são candidatos que já lutam por votos entre os colegas. A vereadora Fernanda Garcia (Psol) admitiu nesta quinta-feira (25) que também pode participar da disputa.
Dini e Martinez já iniciaram a disputa pelos votos dos outros 18 parlamentares. Em entrevista ao Jornal Z Norte, o vereador do PSDB, admitiu que ainda há tempo até a eleição, mas que os secretários municipais já têm trabalhado junto a vereadores, como forma de ajudar na candidatura de Dini.
“É desumano. Todos nós fomos eleitos pela população e representamos os segmentos da população. Minhas emendas nem 30% delas foram cumpridas, embora sejam impositivas. É Santa Casa, Apae, Fundec”, afirmou o vereador. O parlamentar conta com o apoio do presidente do Legislativo, Rodrigo Manga (Dem). “Ele nunca foi submisso ao Paço, e é uma coisa que eu pretendo fazer. Eu não vou prejudicar a cidade, e não vou jogar o voto da população no lixo fazendo maldade pra esse ou para aquele”, explicou.
Martinez aponta como diferença entre as candidaturas a oposição ao governo. “Nunca coloquei a faca no pescoço do prefeito. Não faço barganha, não vou atrás dessas coisas. Se depender disso, ele não vai ser contemplado comigo. Pelo bem da cidade, todos os projetos que beneficiam a cidade, eu vou colocar em votação. Não posso e não vou denegrir ninguém”, concluiu Martinez.
Fernando Dini também conversou com o Jornal Z Norte. O parlamentar do MDB afirmou que não vai permitir a interferência da Prefeitura em um eventual mandato seu na presidência da Câmara. “Não existe ingerência do Executivo no Legislativo. E mesmo que houvesse, eu não deixaria que isso pudesse acontecer porque a Constituição diz que os poderes existem e são harmônicos entre si. Não há esse tipo de ingerência porque os poderes são distintos”, disse o vereador.
O parlamentar do MDB disse ainda que a cidade precisa de uma sintonia entre os poderes. “O que nós queremos enquanto proposta é somente a governabilidade. Nós precisamos entender que mantendo cada vez mais a independência, o Legislativo unido pode dar sua contribuição não ao Executivo, mas à cidade de Sorocaba em geral”, explicou. “Tenho me preparado muito, me esforçado ao máximo, para que possa colaborar, com todos os colegas vereadores, para desempenhar essa função”, concluiu Dini.
Questionada pelo Jornal Z Norte, a vereadora Fernanda Garcia disse que ainda não discutiu uma possível candidatura com seu partido. “Infelizmente a eleição é em dezembro e já começou a discussão. Na última eleição eu fui candidata, porque acredito que tem que haver transparência no processo. Não tenho definição e temos muitos projetos importantes em pauta na Câmara que precisam de discussão”, afirmou a vereadora.


Mais Notícias