Pele artificial é destaque em cirurgia veterinária em gato

Mundo Pet 06 abr / 2017 às 17:47

A técnica de impressão 3D para criar tecido vivo e reconstruir a pele animal foi usada mais uma vez por uma clínica veterinária de Sorocaba. Dessa vez, o método foi realizado para salvar um gato que foi atropelado no bairro Campolim e acabou ferido na região lombar e na coxa esquerda, perdendo parte de sua pele.

Ao saber do caso, Luciana Vieira Guimarães, veterinária, se prontificou a cuidar do animal e realizou algumas cirurgias para tentar a reestruturação da pele. Sem sucesso, a veterinária optou pelo procedimento dos tecidos artificiais e o felino passou por cirurgia na última terça-feira (04).

Essa mesma técnica foi utilizada em Sorocaba pela primeira vez no início do ano para reconstruir a pálpebra da cadela Sofia. Segundo a veterinária, o gato está respondendo bem ao tratamento. “O tempo de recuperação vai reduzir pela metade. O sofrimento diminui muito, o que é bom para ele”, disse. Ela ainda aponta que esse método é inovador. “Nunca tinha visto algo parecido, isso será muito bom para usar em vários animais em diversas situações”, destacou Luciana.

O responsável pela técnica é o bioengenheiro norueguês Andreas Kaasi, dono da empresa Eva Scientific, incubada no Parque Tecnológico de Sorocaba (PTS). Produzidas em impressão 3D, as membranas são biocompatíveis e ricas em colágeno. Kaasi conta que para chegar aos resultados o tempo de pesquisa foi de aproximadamente um ano e que esse procedimento possui agilidade na recuperação. “A técnica torna a transformação melhor e mais rápida”.

Luciana soube através de uma amiga que o gatinho estava gravemente ferido embaixo de uma ponte, preocupada com o estado do bichinho, resolveu abraçar a causa e acolhê-lo na sua clínica veterinária. Graças a ela, e a técnica de Andreas, hoje, o animal está se recuperando dos ferimentos e a expectativa é que logo esteja pronto para ganhar um lar. A veterinária conta que o nome do felino está em discussão, Frank e Jack estão entre as opções.

 


Mais Notícias