Após uma semana sem aulas por fiações elétricas roubadas, muro de CEI 113 desaba

Educação 09 mar / 2020 às 18:01

Na tarde do último domingo (8), o muro que cerca a CEI 113 “Antenor Monteiro de Almeida”, localizada no bairro Aparecidinha, desabou durante o período de fortes chuvas na cidade. Esta segunda-feira (9) seria o primeiro dia de aula após pouco mais de uma semana com atividades suspensas na unidade, resultado de um furto na fiação elétrica e de alimentos do centro educacional. A Secretaria de Educação (SEDU) confirmou que o moro que desabou pertencia a unidade e não ao terreno vizinho.

De acordo com Munhoz Peres, representante do Movimento Pró Sorocaba (MPS), apesar da queda na estrutura, a Secretaria de Educação (Sedu) autorizou o prosseguimento das aulas, porém diversos pais e mães não deixaram seus filhos na CEI. “Ninguém dá uma garantia de que se acontecer alguma coisa, alguém vai se responsabilizar”, afirma Munhoz.

Ainda segundo o representante do MPS, o secretário de Conservação, Serviços Públicos e Obras, Wilson Unterkircher Filho e representantes da Sedu, estiveram na manhã desta segunda-feira na unidade para avaliar os danos na estrutura. “Não deram nenhuma posição, só falaram que vão arrumar, mas essa conversa de que vai ser arrumado é desde o dia 5 de fevereiro, que foi entregue a escola”, denunciou Munhoz.

A municipalidade foi questionada sobre as previsões dos reparos e, em resposta, a Secretaria de Educação informou que a reconstrução do muro da CEI 113 tem previsão para ser entregue até o fim desta semana.

Lívia Freitas Lima, mãe de uma aluna da escola, afirmou que os pais sabiam que o muro poderia cair em algum momento. “A gente já estava imaginando que isso poderia acontecer, porém não tão rápido, porque faz um mês que a escola abriu as portas,” e continuou sobre as aulas. “Alguns pais que se programaram para as crianças ficarem na escola, não puderam trazer de volta seus filhos, porque a escola estava aberta e a maioria estava indo trabalhar”, explicou Lívia.

A responsável afirmou que outras mães estão preocupadas com o ano letivo. “A gente já tem denunciado este muro desde que começou. As crianças já estão sendo prejudicadas, porque já estão há um tempo sem aulas”, relatou.

Sobre os reparos na unidade, Fernanda Aparecida Ribeiro alegou que o secretário Unterkircher garantiu aos pais e mães, nesta segunda-feira, que serão realizados reparos em todo o muro que cerca a escola. “Vai ser totalmente refeito, mas não tinha uma data de entrega. Hoje já tinha algumas máquinas na escola”, adiantou Fernanda.

Mesmo com o incidente, a SEDU salientou que as aulas na unidade continuam normalmente. O prazo oficial divulgado pela pasta para que as obras sejam finalizadas é de 10 dias.  Quanto ao financiamento do reparo, o Poder Executivo destacou que caberá a construtora responsável pela construção da escola.


Mais Notícias