14 músicas vão concorrer no 1º Festival de Marchinhas de Sorocaba

Cultura 26 jan / 2018 às 21:39

A Prefeitura de Sorocaba, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo (Secultur), abre oficialmente o Carnaval 2018 na cidade com a realização do 1º Festival de Marchinhas. O evento está marcado para às 20h deste sábado (27), na Praça Coronel Fernando Prestes, no Centro.

De acordo com a Secultur, 14 canções foram inscritas e concorrem a prêmios em dinheiro de R$ 1.200 (primeiro lugar), R$ 600 (segundo lugar) e R$ 300 (terceiro lugar). Os ensaios também serão neste sábado (27), das 13h às 18h, no local das apresentações, obedecendo a ordem estabelecida em sorteio e com um período máximo de 30 minutos.

As canções a serem apresentadas são as seguintes: Gilmar soltou (Thiago Vasconcellos de Souza – Os Marcheiros); 30 Ovos por 10 (Roni Valk); Corinthians Heptacampeão (Nivaldo Fernandes); Só podia ser amor – Marcha Rancho (Valter Adalberto Silva); Mandando Brasa (Helena Ladeira Azanha); O Dono da cidade – Ah, Eu Sou Coxinha (Matheus Pezzotta); Vô no Vasco (Isa Pezzotta); Divinas Damas (João Brazílio Chagas – João Bid); Dinheiro na Cueca é troco (Robson Silvestrini); Bom é brincar (Silvana Aparecida de Menezes Calixto); Pierrô, ô Zilah! (Edson D’aísa); O Bloco dos Babacas (Vinícius Paes); Me Add Jesus (Tom Soares) e Ó linda, Olinda! (Carlos Henrique Madia).

O júri que vai escolher as melhores marchinhas será composto por três membros dentre músicos, produtores culturais e pessoas ligadas à arte e à cultura em geral. Para avaliação e pontuação serão considerados os quesitos melodia, letra, interpretação e originalidade, ordem esta que vai servir também como critério para desempate.

O secretário municipal de Cultura e Turismo, Werinton Kermes, explica que o objetivo do festival é resgatar a preservação das marchinhas, vertente musical de forte raiz na história, valorizar seus compositores, bem como abrir espaço para a reflexão e evolução do gênero, levando aos foliões a alegria e a irreverência dos carnavais.

 

Primeiro de muitos

Artistas que vão participar do 1º Festival de Marchinhas defendem que o evento se torne tradição e seja realizado também em outros anos. “O Carnaval com marchinhas é tipicamente paulista. Por isso, o paulista precisa resgatar o seu próprio Carnaval”, diz João Bid, que está na música há 35 anos. “Carnaval com escola de samba, todos sabem, é coisa do Rio de Janeiro.”

Segundo ele, o festival aparece em um momento muito interessante e vai valorizar e reconhecer os músicos e compositores da região. Tanto que diversos colegas de estrada estão inscritos. “Foi uma ótima ideia da Prefeitura de Sorocaba e que este festival seja o primeiro de muitos.”

Integrante da Cia Tempo de Brincar, ao lado da parceira Elaine Buzato, Valter Silva é mais um que defende a realização do evento nos próximos carnavais. “Demais a iniciativa de fazer as pessoas voltarem a uma tradição que é linda e que, às vezes, com este mundão acelerado, se perde em outros ritmos”, afirma.

Na estrada há muitos anos, com sete CDs gravados e dois DVDs, ele pretende juntar forças com outros músicos e compositores para tornar o festival uma tradição em Sorocaba. “Vamos fazer um Carnaval para a família e para brincar na rua como era e como tem de voltar a ser”, conclui.

 

SERVIÇO

1º Festival Secultur de Marchinhas de Carnaval

Onde: Praça Coronel Fernando Prestes, Centro

Quando: Neste sábado (21), a partir das 20h

Gratuito

 


Mais Notícias